Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, estudante, estou novamente como presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU,bailarino e agora,secretário e conselheiro do COMUD- Conselheiro municipal de defesa dos direitos da pessoa com deficiência, pai de um belo filho, marido de uma linda mulher .

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Deus me deu um livramento


Deus ontem livrou a minha vida

Ontem sofri um acidente da cadeira rodas, escorreguei e cai da cadeira de rodas e bati com rosto no chão. Machuquei a testa, nariz e joelho. Entretanto estou bem meu filho cuidou de mim.Nós pessoas com deficiência somos mais propícias a nos acidentarmos.Mas O senhor é nossa força ele me livou da morte, ainda não chegou a minha hora.

 Estou feliz

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Mec divulga gabarito oficial do Enem 2014


Deu no G1.
O Ministério da Educação divulgou na manhã desta quarta-feira (12) o gabarito oficial da edição de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Confira abaixo:


GABARITO DAS PROVAS DE SÁBADO (8/11)
- PROVA AMARELA (sábado)
- PROVA ROSA (sábado)
- PROVA AZUL (sábado)
- PROVA BRANCA (sábado)
GABARITO DAS PROVAS DE DOMINGO (9/11)
- PROVA AMARELA (domingo)
- PROVA ROSA (domingo)
- PROVA AZUL (domingo)
- PROVA CINZA (domingo)



segunda-feira, 10 de novembro de 2014

ENEM 2014 no primeiro dia Inacessibilidade em parte

Olá galera...Ontem eu fiz o ENEM-Exame nacional do ensino médio. E mais um ano com INACESSIBILIDADE pelo menos no primeiro dia de prova sábado 08-11. Quando vamos fazer a inscrição informamos que somos cadeirantes então solicitei: mesinha adaptada, transcritor; devido minha coordenação motoras limitada,mais uma hora no tempo de prova;conforme o decreto 5.296/2004, prédio acessível com banheiro adaptado e estacionamento para PCD-Pessoa com deficiência.

 As provas realizei no Colégio Diocesano, porém logo na chegada não tinha estacionamento parei o carro lá embaixo da rua,  faltou banheiro adaptado precisei urinar e urinei no chão do banheiro- minha cadeiras de rodas não chegou até o vaso e também um batente na sala de provas.

Quando terminei as provas conversei com a chefe da sala e os aplicadores sobre esses entraves, fiz as observações que escrevi em documento que é dado quando o candidato com deficiência termina as provas.
Entretando no outro dia, ontem domingo 09-11 logo na entrada um estacionamento reservado, quando entrei no colégio fui logo abordado com a noticia que se eu precisa-se usar o banheiro eu iria usar o banheiro feminino que é todo adaptado.

Fiquei felicíssimo e pensei na vida como uma reflexão, parafraseando ROSA.J.G(Grandes sertões)-A vida esquenta e esfria, aperta e afrouxa, desinquieta e depois sossega. O que ela quer da gente é coragem.




sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Conad defende políticas públicas para deficientes em todos os espaços


A transversalidade vai ser o tema da próxima Conferência Nacional da Pessoa com Deficiência. O quarto encontro, marcado para dezembro de 2015, vai reunir pessoas com deficiência de todo país para discutir políticas públicas.

A aprovação do tema e dos assuntos prioritários da Conferência foi discutido nessa quarta-feira (5), durante a reunião do Conade. Além da Conferência Nacional, o encontro debateu questões como a empregabilidade das pessoas com deficiência.

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, em 2013, houve um aumento de 8%. No total, 357 mil vínculos de trabalho declarados no ano passado são referentes a pessoas com deficiência.

A reunião do Conade começou na terça (4) e segue até esta quinta-feira (6), na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em Brasília, com transmissão ao vivo no site pessoacomdeficiencia.gov.br

Aetpc lança campanha de conscientização junto aos usuários do transporte coletivo

Deu no blog do Mário Flávio


Na próxima segunda-feira (10), a Associação das Empresas de Transportes de Passageiros de Caruaru – AETPC lança as campanhas “Prioridade no acesso ao transporte coletivo” e “Respeitar o idoso é respeitar o seu futuro”, com o objetivo de melhorar o atendimento aos usuários que utilizam o transporte público no município.

A campanha faz referência ao atendimento prioritário para idosos, pessoas com necessidades especiais, gestantes e pessoas acompanhadas por crianças de colo. Serão inseridos no interior de todas as linhas de ônibus da cidade cartazes informativos, assim como as leis que garantem o direito desses usuários no veículo.

“É aquela questão de gerar gentileza nas pessoas. E trazemos para dentro do ônibus essa informação para que todos possam absorver a importância de priorizar o lugar no veículo para esses usuários. É fundamental respeitarmos o direito do outro”, lembrou o diretor institucional da AETPC, Ricardo Henrique.

A ação surgiu após reunião entre representantes da AETPC, Destra, OAB/Caruaru e Ministério Público.


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Cadeiras de rodas em bom estado compradas pelo governo vão para ferro-velho


Desperdício de Dinheiro público

 Cadeiras de rodas especiais compradas pelo governo paulista foram parar em um ferro-velho na zona leste de São Paulo. Os equipamentos possibilitam que deficientes entrem no mar sem serem carregados. As cadeiras chegam a custar R$ 3 mil, estão em bom estado e agora são vendidas por menos de 10% do valor.

Veja vídeo do Jornal da BAND


Senado aprova projeto que altera conceito de Educação Especial


Imagem - foto colorida da matéria, com visão das mesas do Senado, tendo a Senadora Maria do Carmo Alves, no canto direito da foto, presidindo a Comissão de Educação, Cultura e Esporte, com outros senadores à sua frente - fotografia de Edilson Rodrigues - Agência Senado)
A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou, nesta terça-feira (4), projeto que altera o conceito da educação especial no Brasil e reforça o papel da educação regular inclusiva, na forma do substitutivo apresentado pela Câmara dos Deputados (PLS 180/2004).

Pelo texto, o ensino especial passa a ser mais restrito, com funções de apoio complementar ou suplementar aos serviços comuns oferecidos preferencialmente na rede regular de ensino para atender pessoas com deficiência ou transtornos globais de desenvolvimento, altas habilidades ou superdotação.
O texto define o conceito de educação especial, que passa a ser uma modalidade de ensino escolar que realiza “atendimento educacional especializado” para apoiar os serviços educacionais comuns. A ideia é promover a educação inclusiva, ou seja, a escola regular terá que se preparar para receber todo e qualquer tipo de aluno.

O substitutivo da Câmara retira três parágrafos do artigo 58 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) que preveem: oferta eventual de serviços especializados nas escolas da rede regular; atendimento em classes, escolas ou serviços especiais, em situações específicas; e o dever do Estado de ofertar educação especial de zero a seis anos, durante a educação infantil.
O texto original, da ex-senadora Ideli Salvatti buscava somente assegurar ambiente escolar propício à inclusão educacional e social de estudantes com deficiência auditiva, obrigando as escolas a ofertar a Língua Brasileira de Sinais (Libras) em todas as etapas e modalidades da educação básica.

A partir das modificações aprovadas na Câmara e referendadas pela CE, o projeto agora obriga os sistemas de ensino a garantir, como parte do currículo de todas as etapas e modalidades da educação básica, não só o ensino de Libras, mas também de outros métodos de comunicação para estudantes com deficiência ou transtornos globais de desenvolvimento, altas habilidades ou superdotação, como o sistema braile (para cegos) e o tadoma (para pessoas que são simultaneamente surdas e cegas).

Esses alunos também terão direito a adequação de currículos, métodos e recursos às suas necessidades; professores especializados; e educação especial para o trabalho. Além disso, deverá ser respeitado o atendimento de necessidades educacionais específicas dos alunos nas diretrizes para cursos superiores em geral; inserção de eixos temáticos e conhecimentos favoráveis à educação inclusiva nos currículos dos cursos de formação de professores; e a oferta, pelo poder público, aos familiares e à comunidade da pessoa com deficiência auditiva de condições para o aprendizado de Libras.

O relator ad hoc na Comissão de Educação foi o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR). A matéria segue agora para o Plenário e, caso seja aprovada, vai à sanção presidencial.
FONTE Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)