Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência,e AGORA ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Integro a comissão de Acessibilidade UFPE

segunda-feira, 30 de maio de 2016

CRIANÇA CADEIRANTE GANHA COSPLAY INCRÍVEL DO HOMEM-FORMIGA!

A Walkin’ & Rollin’ Costumes, uma empresa que não visa lucros, está desenvolvendo uma linha incrível de fantasias para crianças deficientes. Sua mais nova criação foi um incrível traje completo de Homem-Formiga para um jovem rapaz, incluindo uma cadeira adaptada que representa ninguém menos que Antony, a fiel formiga do heróis nos cinemas!
A fantasia foi exposta na Planet Comicon, a maior feira de quadrinhos do Kansas, e acabou rendendo um merecido prêmio de “Melhor Cosplay” para o rapaz. A empresa se tornou popular por criar fantasias especiais para crianças com deficiência física. Eles não cobram nada pelos serviços, e se mantém à base de doações.
Abaixo você pode conferir vídeos e uma imagem da fantasia de Homem-Formiga e Antony:
 
 
Fonte-Cantinho dos Cadeirantes

Sisu do 2º semestre de 2016 já está com as inscrições abertas


As inscrições para a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2016 já estão abertas. São oferecidas 56.422 vagas em 65 instituições públicas de ensino superior. O prazo vai até as 23h59 do dia 2 de junho.


Só pode se inscrever o estudante que participou da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e que tirou nota acima de zero na prova de redação. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas pelo site http://sisu.mec.gov.br


Pelo site, no endereço http://sisu.mec.gov.br/cursos é possível realizar a busca pelas vagas, filtrando por município, instituição ou curso. Nesta edição, 33 cursos de medicina oferecerão vagas. A UFRJ é a instituição com o maior número de vagas: 100. A Universidade de São Paulo (USP), que no primeiro Sisu de 2016 fez sua estreia, não oferece vagas nesta segunda edição do ano. 


O estudante pode se inscrever em até duas opções de vaga e, no ato, deve incluí-las em ordem de preferência. O resultado da única chamada será divulgado no dia 6 de junho de 2016 na página do Sisu e nas instituições de ensino superior. 


O aprovado deverá realizar sua matrícula na instituição selecionado na chamada regular nos dias 10, 13 e 14 de junho de 2016. Há ainda a possibilidade de os participantes que não foram convocados para sua primeira opção participarem da lista de espera. 


Entenda o Sisu
O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é o meio utilizado pelo Ministério da Educação (MEC) para selecionar novos estudantes de cursos de graduação de universidades federais e institutos tecnológicos de ensino superior. Há ainda instituições estaduais e municipais que aderem ao processo. O sistema usa as notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para determinar quais candidatos terão direito às vagas. 


Quem pode participar?
Os estudantes que fizeram o Enem e que tenham obtido nota acima de zero na redação poderão se inscrever no Sisu. As duas edições do Sisu de um determinado ano sempre utilizam os dados do Enem do ano anterior. Por exemplo, nos Sisu de 2015, valem apenas as notas do Enem 2014. 

  Como o Sisu calcula a nota de corte? 
 
Durante o prazo de inscrições, o Sisu calcula a nota de corte para cada curso uma vez por dia. O cálculo toma como base o número de vagas disponíveis e o total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência. A nota de corte válida será aquela registrada no último dia de inscrições. Até esse fechamento, o candidato pode optar por mudar de cursos ou universidades. 


Quais as modalidades de concorrência no Sisu?
O candidato pode escolher se concorre às vagas de "ampla concorrência", às vagas reservadas de acordo com a Lei de Cotas (Lei nº 12.711/2012) ou às vagas destinadas para as demais políticas afirmativas de cada instituição. 

Qual o percentual da reserva de vagas para a Lei de Cotas?
Todas as universidades que participam do Sisu reservaram, pelo menos, 37,5% das vagas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas. Até 2016, as instituições deverão atingir o percentual de 50% de vagas reservadas. 

É preciso ter uma nota mínima no Enem para participar do Sisu?
Sim, por dois aspectos. Primeiro, será vetada a participação de candidatos que tenham zerado a redação. Em segundo lugar, o MEC esclarece que algumas instituições adotam notas mínimas para inscrição em determinados cursos. Nesses casos, o próprio sistema vai alertar o candidato durante o processo de inscrição. 

Existe lista de espera no Sisu?
Os candidatos que não foram selecionados em nenhuma das suas opções de curso na chamada regular ou os candidatos que foram aprovados em sua segunda opção poderão participar da lista de espera. Estes estudantes deverão acessar o seu boletim, na página do Sisu, e manifestar interesse. Posteriormente, as universidades terão novo prazo para informar as vagas disponíveis em seus próprios sites.
A participação na lista de espera só poderá ser feita na primeira opção de vaga do candidato. A convocação dos candidatos nesta "segunda chamada" é realizada diretamente por cada uma das instituições de ensino superior participantes do Sisu. Por isso, o candidato deverá acompanhar junto à própria universidade o andamento da lista de espera. 

Resultado e matrículas dos aprovados pelo Sisu
O resultado do Sisu poderá ser consultado no boletim do candidato, na página do Sisu, nas instituições participantes e no telefone 0800-616161. A matrícula deverá ser realizada diretamente na instituição em que o aluno foi selecionado. 

Documentos necessários
Para se inscrever no Sisu, o candidato precisará apenas do número de inscrição e senha cadastrados no Enem. Em caso de aprovação, os estudantes devem ficar atentos à documentação exigida pela universidade para a matrícula. Esta informação estará disponível no sistema, no momento de sua inscrição. 

Sisu e Prouni: qual diferença?
O Sisu é a sigla para Sistema de Seleção Unificada. Através dele, instituições públicas - sem cobrança de mensalidade - selecionam alunos tendo como critério a nota do candidato no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
O Enem também é usado em outras ações do MEC, como o Ciência sem Fronteiras, o Fies e o Programa Universidade para Todos (Prouni). O Prouni concede bolsas de estudos integrais ou parciais em universidades privadas. O foco são estudantes que saíram de escolas públicas e de baixa renda. 

Fonte-G1

Prefeitura do Rio anuncia projetos a cem dias da Paralimpíada

A cem dias dos Jogos Paralímpicos do Rio, a prefeitura anunciou uma série de projetos e medidas que serão tomadas para a realização do evento, que acontece entre 7 e 18 de setembro, logo após a Olimpíada. Entre as novidades está o programa de distribuição de mais de 500 mil ingressos para servidores municipais, estudantes e para frequentadores de instituições que em parceria com a prefeitura desenvolvem trabalhos com pessoas com deficiência.
"Os ingressos serão dados, mas em contrapartida os servidores terão de enviar foto, vídeos e mensagens para publicação no Instagram do programa. Os alunos de 1º. ao 9º ano terão de ter boas notas no primeiro bimestre e os atendidos nas 36 instituições que têm convênio com a prefeitura terão de comprovar frequência nos programas de atendimento", disse o secretário de governo Pedro Paulo Carvalho, acrescentando que a prefeitura vai gastar R$ 5 milhões com esses ingressos.
O presidente do Comitê Paralimpico Andrew Parsons lembrou que 65% dos ingresso dos jogos custam até R$ 30 e que pela primeira vez a equipe brasileira vai participar de todas as modalidades e com chances reais de medalhas em todas elas. "Posso garantir que vamos ter pódio todos os dias", disse Parsons.
Entre os legados de acessibilidade, o secretário de Transportes Leonardo Picciani destacou o aplicativo Moovit, que vai permitir que as pessoas planejem as viagens, já que concentra informações sobre todos os modais, em 40 línguas diferentes.
Ele também lembrou que a prefeitura investiu muito em transportes de alta capacidade, como o VLT e BRT, assim como apoiou melhorias no metrô e nos trens promovidas  pelo governo do estado.
"Investimos em transporte de alta capacidade que é um legado importante que vai ficar para a cidade. Os ônibus comuns estão em adaptação, quase 50% da frota foi climatizada e tem uma parte sendo adaptada para dar mais acessibilidade. A acessibilidade ainda é um grande desafio, mas já avançamos muito e estamos aproveitando o momento para melhorar os serviços e adquirir novos equipamentos", disse o secretário.
No setor de transportes também serão disponibilizados shutles bus para o transporte de pessoas com deficiência gratuitamente até as arenas de jogos, mas as rotas ainda serão decididas.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 RJ ou por Whatsapp e Viber.

Fonte-G1

O PROFESSOR: AFETIVIDADE E AUTISMO

Apesar de não existir uma receita pronta para lidar com o autismo em sala de aula, há aspectos básicos na aprendizagem humana - comuns a todos nós - que podem servir de mediadores da aprendizagem, dentre eles a afetividade.


            Apesar de não existir uma receita pronta para lidar com o autismo em sala de aula, há aspectos básicos na aprendizagem humana - comuns a todos nós - que podem servir de mediadores da aprendizagem, dentre eles a afetividade. O afeto não é nenhuma nova teoria pedagógica, nem a mais nova descoberta científica para dar-nos melhor qualidade de vida.


              Trata-se de algo que acompanha o homem desde o nascimento da sua história. É um instrumento pedagógico que precede ao uso do giz e da lousa, todavia, não se tornou anacrônico. Ele é científico: ao consumar o afeto, o cérebro recompensa o corpo por meio da liberação de impulsos químicos que trazem a sensação de prazer e de alegria. Ser afetivo não é ser adocicado. Ser afetivo é utilizar o campo emocional como um eficaz e real instrumento pedagógico, mediando a aprendizagem, trabalhando a memória e a cognição.


               Em termos práticos, é trazer para o exercício pedagógico o interesse e o amor dos atores da escola. Um aluno que ama aprender aprende melhor; um professor que ama ensinar ensina melhor. Porém, não podemos nos iludir achando que basta amar para ser bom professor. Antes, se eu amo, eu estudo, eu pesquiso, eu trabalho e, desta forma, adquiro um olhar sensível e instrumentalizado, essencial ao exercício docente.


                   A carga de amorosidade que está em mim me faz ser um aprendiz do saber para exercer com equidade o meu ofício. A carga de amor que está em mim me faz interessado e responsável em descobrir alternativas nos processos de ensino e aprendizagem. Igualmente, a carga afetiva do aluno o faz irromper a lugares ainda desconhecidos de aprendizagem e saber. Se não podemos ser afetivos sem adquirir os predicados necessários ao exercício docente, tampouco podemos exercer a prática pedagógica sem os atributos do amor, principalmente quando falamos da inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais.


            Podemos dizer que o afeto possui três dimensões: a pessoal, que desenvolve a autoestima do professor e do aluno, revelando as raízes da motivação e do interesse; a social, estabelecendo as relações com aqueles que estão no campo escolar e que podem tornar o ambiente instigante para a aprendizagem; a pedagógica, que estimula os vínculos do aluno e do professor com o objeto de estudo, produzindo a afinidade com o processo de ensino e aprendizagem, na troca de saberes docentes e discentes, na cumplicidade de fazer o percurso tão prazeroso quanto a chegada.


             Portanto, é necessário mergulhar nos afetos do aluno com autismo: descobrir seus interesses, desejos, sonhos possibilidades, dificuldades, enfim, conhecê-lo bem. O professor precisa descobrir quais habilidades ele já possui e quais precisa adquirir. Podem ser habilidades sociais ou acadêmicas. Sempre priorizando a comunicação e a socialização. Decerto, não há metodologias ou técnicas salvadoras.


             Há, sim, a possibilidade de uma formação, considerando a função social e construtivista da escola. A escola necessita aprender a lidar com a realidade do educando. Nessa relação, quem primeiro aprende é o professor e quem primeiro ensina é o aluno. Afinal, o aprendente com autismo não é um ser solitário compondo uma música que só ele ouve. Ele faz parte de uma orquestra, cujo maestro é o seu desejo, pois é para este que ele sempre olha. E o professor? O professor é o músico que dá vida ao ritmo que sustenta a música até o final.

Fonte-Saber Autismo


Eugênio Cunha -

Doutor, Professor, psicopedagogo, doutor em educação. Autor dos livros “Afetividade na prática pedagógica”, “Afeto e aprendizagem” “Autismo e inclusão”, “Práticas pedagógicas para inclusão e diversidade” e “Autismo na escola: um jeito diferente de aprender, um jeito diferente de ensinar", publicados pela WAK Editora.

Alto do Moura ganhará asfalto e se tornará espaço de lazer o ano inteiro

Os investimentos em infraestrutura continuam no Alto do Moura. Agora, além de um estacionamento para mais de 900 veículos e cerca de 2km de calçadas acessíveis, o Alto do Moura ganhará 630m de asfalto na rua Mestre Vitalino. O capeamento começará no pórtico e percorrerá toda parte gastronômica do bairro mais famoso de Caruaru.

Esta manhã, o secretário de infraestrutura Deny Coelho, o assessor intersetorial Humberto Botão e o arquiteto Swami Lima apresentaram o projeto aos membros da diretoria da associação de moradores e aos artesãos que estavam presentes na sede da associação. Das 15 pessoas presentes, sem contar com os representantes da prefeitura, 12 votaram a favor do projeto que levará asfalto para o Alto do Moura, uma pessoa votou contra e duas se abstiveram.As obras já serão iniciadas na próxima segunda-feira (23) e tudo ficará pronto no começo do mês junino. “Dou apoio ao trabalho de aplicação de asfalto no Alto do Moura, acho muito importante todo trabalho que vem sendo realizado aqui e tudo vem só para engrandecer nosso bairro”, relatou a artesã Marliete Rodrigues.

A grande novidade que a Prefeitura traz neste projeto é de tornar a rua Mestre Vitalino em mais um espaço de lazer durante todos os finais de semana do ano, a exemplo do que acontece na na Avenida Agamenon Magalhães aos domingos. “Fecharemos essa parte da via que terá asfalto para que as pessoas possam caminhar, praticar atividades físicas, pedalar, andar de patins ou Skate. Será mais um ponto do projeto Caruaru Saudável. O Alto do Moura atrairá visitantes e turistas o ano inteiro, tendo a merecida infraestrutura”, relatou Deny Coelho.   

Fonte-Prefeitura de Caruaru

domingo, 29 de maio de 2016

Concurso oferece 182 vagas na Prefeitura





A Prefeitura de São José da Coroa Grande, no Litoral Sul do Estado, abre, nesta segunda-feira (30) as inscrições para o preenchimento de 182 vagas em cargos de nível fundamental, médio, e superior. Os vencimentos vão de R$ 880 a R$ 8.000. O valor das inscrições é de R$ 60, R$ 80 e R$ 130 para os três níves respectivamente

 Confira os detalhes no edital 


As inscrições serão feitas exlclusivamente pela internet, a partir das 8h desta segunda-feira, no site da organizadora, e seguem até 29 de junho. As provas acontecem no dia 24 de julho, das 9h às 12h e das 14h às 17h, de acordo com o cargo.
Caso haja grande número de inscritos, e, não havendo locais suficientes na cidade de São José da Coroa Grande, poderá haver locais de provas em municípios vizinhos.
Para o nível superior, os cargos são para assistente social, enfermeiro, fisioterapeuta, médico da família, médico plantonista, odontólogo, psicólogo e professor em várias disciplinas.
Para o nível médio, a oportunidade é para professor de educação infantil. Há vagas para nível médio que exigem especialização técnica. São elas: agente administrativo e técnico em enfermagem.
No nível fundamental os cargos oferecidos são de agente auxiliar de saúde bucal, vigilante, motorista (categorias C e D), auxiliar de serviços gerais, coveiro, eletricista e merendeira.
O concurso é realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Humano e Tecnológico (IDHTEC). Os gabaritos serão publicados no dia 25 de julho e o resultado oficial será conhecido no dia 26 de setembro.

Oportunidades
Pelo menos 14 órgãos abrem inscrições de concursos, na segunda (30), terça (31) e quarta-feira (1º), para um total de 1.054 vagas e formação de cadastro de reserva em cargos de níveis fundamental, médio, técnico e superior.

a modalidade de formação de cadastro de reserva, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.


FONTE-G1

Documentário-O que é isso de vida independente?Conta a história do tretraplégico Português

Vera Moutinho, jornalista do PÚBLICO, venceu o Prémio Dignitas na categoria de Jornalismo Digital pela reportagem O que é isso de vida independente. O Primeiro Prémio Dignitas foi entregue a um trabalho da jornalista da SIC Miriam A



A reportagem O que é isso de vida Independente, que esta semana recebeu também uma menção honrosa nos Prémios AMI - Jornalismo contra a Indiferença, conta a história de Eduardo Jorge, tetraplégico após um acidente em 1991, e da sua luta por uma existência autónoma. O activista chegou a fazer greve de fome e a dirigir-se ao Parlamento em cadeira de rodas, num percurso de 180 quilómetros entre Abrantes e Lisboa.

O documentário foi ainda exibido na TVI24 e está disponível numa versão legendada em inglês.

A reportagem Impossível é só um exagero para difícil, da jornalista da SIC Miriam Alves, venceu o Primeiro Prémio Dignitas, acumulando com o prémio na categoria de Televisão. O trabalho acompanha uma colónia de férias organizada pela Associação de Actividade Motora Adaptada que testa um novo modelo no qual os monitores das crianças cegas são crianças que vêem da mesma idade.

O Júri atribuiu ainda uma Menção Honrosa na categoria Televisão à reportagem Corpo sentido de Mafalda Gameiro da RTP.

Na categoria de Rádio o vencedor foi Pedro Mesquita, jornalista da Renascença, pela reportagem O Extraordinário Mundo de Irina. No trabalho, Irina, de 17 anos, fala na primeira pessoa sobre o autismo e o seu percurso até à integração na escola e na sociedade.

A reportagem Semear a Mudança da jornalista Cláudia Pinto, publicada na Notícias Magazine, venceu na categoria de Imprensa. O texto debruça-se sobre a instituição BIPP – Soluções para a Deficiência, que promove a inclusão de jovens com deficiência no mercado de trabalho.

Por fim, na categoria de Jornalismo Universitário, o prémio foi entregue ao aluno Tomás Albino Gomes, da Escola Superior de Comunicação Social, pelo trabalho A Genética do Amor.

O Prémio Dignitas, que se encontra na oitava edição, é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Deficientes e recompensa anualmente trabalhos jornalísticos dedicados ao tema da deficiência, nomeadamente aqueles que valorizem "a dignidade das pessoas com deficiência,os seus direitos humanos e a sua inclusão social".

O Júri desta edição foi constituído por Humberto Santos, da Associação Portuguesa de Deficientes, Anabela Lopes, da Escola Superior de Comunicação Social, António Belo, da Amnistia Internacional, Paulo Neves, Professor no Instituto Superior de Psicologia Aplicada, e David Rodrigues, Presidente da Direção da Associação Pró Inclusão.

A entrega dos prémios está marcada para o dia 3 de Maio na Assembleia da República, numa cerimónia com início às 9h30.
Fonte: Público