Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência,e AGORA ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Integro a comissão de Acessibilidade UFPE

sábado, 25 de junho de 2016

Funcionária cega dribla deficiência e atende público no Poupatempo em SP

Servidora 'dribla' deficiência visual para atender público no Poupatempo (Foto: Camilla Motta/G1)

"Nunca fui tratada diferente e isso era o que eu mais queria, ser tratada igual aos demais funcionários". A afirmação é da orientadora Gislaine Cristina Ferreira, de 32 anos, dos quais oito atuando na agência do Poupatempo em São José dos Campos (SP) - ela é a única funcionária com deficiência visual que atua no órgão no Estado de São Paulo.
Exemplo de superação, Gislaine, que nasceu cega por causa de toxoplasmose, atende e orienta o público que procura atendimento no posto. O local agrega vários serviços de utilidade pública em um mesmo espaço.
Assim como os outros funcionários, ela enviou currículo, passou por entrevista e fez 20 dias de treinamento. Neste período, parte do conteúdo que ela deveria aprender foi produzido em braile especialmente para ela. Para se familiarizar com todos os espaços do prédio onde trabalha, ela os percorreu várias vezes os ambientes.


Para Gislaine, lidar com o público tem sido uma experiência que mostra que é possível levar uma vida praticamente normal, mesmo diante dos obstáculos. "As pessoas dizem que nós temos que acreditar no nosso potencial, mas ainda é difícil para o deficiente ficar frente a frente com as pessoas e ser aceito", afirmou ao G1. Ela se orgulha da profissão e o público também demonstra estar satisfeito com o trabalho dela.
No balcão que ela fica, logo na entrada do prédio, o público pode pedir orientação sobre o atendimento. Os panfletos de orientações ficam no balcão, são cerca de 12 diferentes, agrupados por tema. Gislaine sabe onde fica cada um.
O Deusdedit José da Silva foi buscar atendimento no poupatempo na manhã desta quinta-feira (23). Ele precisava de informações para como dar entrada no seguro desemprego e foi atendido pela Gislaine, que indicou em qual setor ele deveria ir e ensinou o caminho

                                  Gislaine orienta público que precisa de
                                        atendimento no Poupatempo
                                          (Foto: Camilla Motta/G1)



"Ela explicou super bem. Tem gente que enrola e a gente tem que ficar indo para lá e para cá, mas ela é super rápida. Gostei do atendimento", contou.
A técnica de enfermagem também aprovou o trabalho da funcionária e ficou feliz em ver Gislaine no mercado de trabalho. "Notei a deficiência e achei muito legal ela ser independente. Quem dera todos tivessem essa oportunidade também. Ela conversou comigo, me explicou o que preciso. Foi ótima", afirmou
Apesar disso, ela disse que já ficou chateada quando está com outra atendente e diz que percebe que o público faz fila para ser atendido só pela outra. "Isso já aconteceu e me chateou porque ela ficava lá sem fazer nada e as pessoas esperando. Eu sou capaz, tudo está na minha cabeça, decorei tudo", disse.


Independência
A atendente mora em Jacareí, cidade vizinha de São José dos Campos. Para chegar ao trabalho, ela precisa pegar três ônibus e atravessar a passarela da Via Dutra, uma das rodovias mais movimentadas do país.
O trajeto tem duração de duas horas e ela percorre sozinha. "Já acostumei e para saber o local certo, o motorista me avisa ou pergunto para outros passageiros", contou Gislaine.
Ela contou também que no início da carreira a família ficou preocupada, mas que sempre a incentivou. "Um psicólogo perguntou para a minha mãe: se você não deixá-la viver a vida, o que será dela quando vocês partirem? Depois disso ela me deu mais liberdade. Faço tudo sozinha, só às vezes a gente sai para comprar algo e eu a chamo para ser 'meus olhos'", contou
Reconhecimento e sonhos
Com a independência conquistada, ela ainda tem o sonho de cursar a faculdade de administração e casar. "Quero formar uma família. Falar para os meus filhos que eu já passei por muita coisa, mas que é possível superar se você acreditar", afirmou.
Ela brinca que quando for casar, a madrinha será a coordenadora do Poupatempo da ciadde Claudia Sepinho. A coordenadora participou da seleção de contratação da Gislaine há oito anos.
"Ela chegou com a cabeça baixa, tímida, com pouca confiança. Ela foi erguendo, erguendo e floresceu. Hoje só anda com a cabeça erguida. Ela tem algumas limitações, mas muitos talentos", concluiu Claudia.

Fonte-g1

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Menina com deficiência visual frequenta escola após lei de inclusão

Desde o primeiro dia de 2016 está em vigor a lei brasileira de acessibilidade, uma espécie de estatuto que muda completamente a forma da sociedade encarar as pessoas que possuem deficiência. Com a lei, as instituições de ensino não podem fechar as portas para essas pessoas.


Nicoli Santos tem 7 anos e é deficiente visual. Ela perdeu 100% da visão aos 2 anos por causa de um câncer. A mãe dela Bianca Santos já fez uma correria para conseguir uma escola para ela. “Eles colocavam taxas adicionais, eu tinha que contratar um cuidador para ficar ao lado dela”, lembra.
Mas finalmente uma escola abriu as portas para Nicoli e hoje ela frequenta as aulas normalmente e aprende o mesmo conteúdo que as outras crianças da turma. A única diferença é que ela escreve e lê em braile. “Eu gosto de trazer brinquedo, de brincar aqui e gosto de vir para escola”, conta Nicoli.
Segundo o diretor da OAB de Bauru e membro da comissão de direitos da pessoa com deficiência, Eduardo Jannone da Silva, as escolas precisam aceitar todos os alunos. “Todas as escolas estão obrigadas a aparelhar a sua estrutura para que as pessoas com deficiência possam estudar nessas escolas públicas e privadas. Caso essas pessoas precisem de auxílio, seja material ou humano, por exemplo, o amigo qualificado ou o cuidador, a escola vai ter que providenciar esse suporte humano. O eventual custo com esse profissional precisa ser diluído entre todos os outros custos da escola”, explica.


Empresas
Além das escolas, as empresas com mais de 100 funcionários também devem contratar pessoas deficientes. Por causa de uma leve deficiência mental, o Gabriel Fernandes Nogueira teve a fala comprometida, mas isso nunca foi problema para ele. O jovem trabalha em uma empresa de recuperação de crédito há três anos e só está crescendo.
Gabriel começou trabalhando na empresa na portaria, ficou dois anos e hoje ele está no setor de Recursos Humanos. Ele é responsável pela triagem dos currículos. A oportunidade do primeiro emprego surgiu porque a empresa onde o Gabriel trabalha se preocupa com a lei de inclusão.


“Nós fizemos um processo, contatamos a família, entendemos também um pouco das potencialidades dele e o alocamos na área inicial. Ele é bastante produtivo, a gente percebe que desta forma ele consegue encontrar sentido na carreira, no trabalho, se sentir útil de fato e ele contribui bastante”, explica o coordenadora de RH Luiza Metzner.
Hoje as empresas com mais de 100 funcionários são obrigadas a abrir as portas aos deficientes. Uma emenda na lei poderia melhorar ainda mais a situação dessas pessoas que querem trabalhar, mas o projeto que previa a obrigatoriedade de empresas com menos de 100 funcionários contratarem pessoas com deficiência foi vetada.
Nas ruas
Mas apesar da lei, muito lugares ainda não oferecem acesso ao deficiente. Nas ruas de Bauru é fácil encontrar calçadas irregulares. A rampa de acesso, por exemplo, é de responsabilidade do proprietário do imóvel, mas nem todos os locais instalam.
Na avenida Duque de Caxias, postes foram encontrados no meio da rampa de acesso e outras calçadas sem a rampa. Segundo o  presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Comude), Washington Rodrigues, qualquer cidadão pode fazer uma reclamação no Poupatempo sobre o lugar errado.

 Em avenida da cidade tem um poste no meio da rampa de acessibilidade (Foto: Reprodução / TV TEM)

Fonte-G1

Projeto prevê tradutor de Libras nos bancos

Está tramitando, na Câmara Municipal, um projeto de lei de autoria do vereador Fábio Cardozo (PPS), que obriga as agências bancárias da cidade a disponibilizarem para o atendimento ao público com deficiência auditiva, um profissional de Libras.

O projeto deve ir para pauta de votação na sessão da próxima quarta-feira (29/06). “A proposta tem o intuito de promover a inclusão das pessoas com deficiência auditiva nos serviços cotidianos. Para isso, é fundamental a presença de um ouvinte com fluência na língua ou um tradutor e intérprete de Libras nos setores de atendimento bancário”, disse o vereador.
Para Fábio Cardozo, a ausência de intérprete de Libras expõe as pessoas com deficiência auditiva ao constrangimento e dificuldades de comunicação. “Este serviço já é uma realidade nas agências bancárias de várias cidades, como de Itajai, em Santa Catarina. É um passo importante para viabilizar a integração deste segmento da população e do reconhecimento da cidadania”, reforçou o parlamentar.
A profissão de tradutor ou intérprete de Libras foi regulamentada em 2010. Além disso, a linguagem de Libras foi oficializada por lei federal como a língua oficial da pessoa surda.

Fonte: A Tribuna – Mato Grosso Digital

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Prefeitura de Paudalho abre concurso com salários de até R$ 4,5 mil

A Prefeitura de Paudalho , na Zona da Mata Norte de Pernambuco, lançou, nesta terça (21), edital de concurso para 317 vagas em 81 cargos diferentes. De acordo com o edital, os salários vão de R$ 880,00 a R$ 4.500,00.
As inscrições têm início na sexta-feira (24) e as oportunidades são para candidatos com níveis fundamental, médio e superior nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, administração e serviços gerais. As provas escritas acontecem no dia 28 de agosto.
A maior oferta de vagas acontece para os cargos de agente de controle de endemias e doenças (30 vagas), agente comunitário de saúde – ACS (15 vagas), assistente de secretaria (20 vagas) e professor de língua portuguesa (11 vagas).
Do total de vagas destinadas, 39 são para pessoas com deficiência. A relação completa de vagas e de cargos disponíveis pode ser acessada na página do edital do concurso.

De acordo com o documento, os candidatos podem se inscrever até o dia 24 de julho de 2016 através da internet. As taxas de inscrição variam de R$ 65 a R$ 125 e devem ser pagas através de boleto bancário. Ainda segundo o edital, o certame tem validade de dois anos a contar da data de homologação, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

Fonte-G1

Faculdade de Belo Jardim vai realizar concurso

Certame deve ocorrer em janeiro de 2017 (Foto: Úrsula Freire/FolhaPE)
 
A Faculdade de Belo Jardim se compromete a realizar concurso público para professores e servidores. Instituição firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e deve determinar a abertura do processo licitatório para a escolha da instituição que irá organizar e promover o certame até o dia 30 de junho. Segundo o TAC, a Faculdade terá 90 dias para concluir a licitação. 
O concurso público deverá ser realizado até o dia 30 de janeiro de 2017, com a observância do intervalo de 45 dias entre a publicação do edital e a data da prova.
Para acompanhar a regularidade do concurso público, uma comissão deverá ser organizada pela Faculdade de Belo Jardim, composta por três membros, sendo um do Poder Executivo, outro do Legislativo e o terceiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Esses integrantes da comissão não poderão concorrer ao certame, assim como também um parente deles até terceiro grau, em linha reta, colateral ou afim não poderá se inscrever.
A conclusão do concurso público deve se dar até 30 de março de 2017, contando com homologação e nomeação dos aprovados, quando deverão ser afastados todos os servidores contratados temporariamente e substituídos pelos servidores efetivos concursados.
O documento foi assinado pelo diretor-presidente da unidade de ensino, Adriano Cândido da Silva, e, elaborado pelo promotor de Justiça Daniel de Ataíde.

Via-Folha de Pernambuco

Exército lança concurso com 44 vagas

O Exército lançou concurso público de admissão destinado à matrícula no Curso de Formação de Oficiais do Quadro Complementar (CFO/QC), a funcionar na Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx). O edital foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (22).
O certame oferece 44 vagas no total, sendo 40 para o quadro complementar em 2017, e quatro para capelães. Há oportunidades para as áreas de Ciências Contábeis (7 vagas); Direito (15); Enfermagem (6); Informática (10) e Veterinária (2).
As inscrições já começaram e podem ser realizadas até o dia 5 de agosto de 2016 pelo site www.esfcex.ensino.eb.br. As provas ocorrem no dia 18 de setembro em várias localidades do País, entre elas, Recife.
Exército
Vagas: 44
Cargos: vários
Nível: superior
Salários: não informados
Inscrições: até 05/08/2016
Taxa: R$ 120
Prova: 18/09/2016
Mais informações: www.esfcex.ensino.eb.br.

Fonte-Folha de Pernambuco

'A Gente da Palavra' seleciona jovens para projeto de leitura em Caruaru, PE

Projeto seleciona mediadores de leitura em Caruaru (Foto: Divulgação/Assessoria)

O projeto "A Gente da Palavra" seleciona jovens de 18 a 29 anos em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, para mediação de leituras. De acordo com a assessoria, as inscrições podem ser realizadas até segunda-feira (27) no Museu do Barro de Caruaru, na Praça Coronel José de Vasconcelos, número 100, no Centro. O cadastro é gratuito.

Os interessados também poderão se inscrever através do site da Secretaria de Cultura. Os aprovados receberão uma bolsa auxílio de R$ 350 durante dez meses. Para se candidatar, é preciso morar nos bairros Centenário, São Francisco ou Monte Bom Jesus.

A assessoria informou que o projeto tem como objetivo promover a leitura e a circulação de livros nas comunidades atendidas pelo Programa Governo Presente. Os jovens ajudarão na realização de saraus e leituras mediadas, além de circular com livros em "bibliotecas móveis" - bicicletas adaptadas onde os moradores poderão pegar os livros emprestados.

Serviço
Inscrições para o projeto "A Gente da Palavra"
Local: Museu do Barro de Caruaru
Endereço: Praça Coronel José de Vasconcelos, número 100, no Centro
Data: até 27 de junho
Acesso: gratuito.

Fonte-G1