Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, estudante,EX Locutor do telemensagem Shalom, estou novamente como presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU,bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselheiro municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência,e AGORA ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE(Passei a emoção é inexplicável)!

quarta-feira, 4 de março de 2015

Jovem deficiente cria aplicativo para avaliar a acessibilidade dos lugares

Deu na PGN

João Santiago é um típico jovem de 23 anos de Fortaleza (CE). Estuda numa faculdade, gosta de tecnologia, usa as redes sociais para se comunicar e, de vez em quando, sai com os amigos para conversar. Certa vez ele foi convidado para ir a um bar, mas recusou o convite porque não sabia o quanto o local era acessível.

Santiago tem paralisia cerebral e dificuldades de mobilidade. E sempre quando se prepara para se divertir, tem que se preocupar se o estabelecimento é preparado para atendê-lo. Como muitas pessoas sofrem com o mesmo problema, ele resolveu agir e desenvolveu um aplicativo para classificar a acessibilidade dos lugares. A ideia é ajudar as pessoas com deficiência a ter uma vida social.

O aplicativo se chama “Dá Pra Ir” e começou a ser desenvolvido em novembro de 2014. “Vi que muitas pessoas deficientes tinham a mesma frustração que a minha. Em dezembro eu terminei a primeira versão e decidir levar para a Campus Party”, conta Santiago.

O aplicativo funciona de forma colaborativa. O usuário, por meio do celular, faz check-in no local onde visita e coloca informações de quão acessível são as instalações. É possível também fazer avaliações em critérios como presença de banheiros acessíveis, regularidade do terreno, existência de rampas e piso tátil.

A popularização do aplicativo

Ao chegar na Campus Party, Santiago conheceu a empreendedora Juliana Glasser, 31 anos — CEO de uma empresa de software chamada Carambola. Ela estava no evento para ser mentora de negócios em uma maratona promovida pelo Sebrae. “Fiquei encantada com o aplicativo e fiz uma parceria com o Santiago para ajudar a levar o Dá Pra Ir para as lojas de apps. Nossa relação deu tão certo que hoje ele trabalha como programador na Carambola”, afirma Glasser.

O Dá Pra Ir está disponível gratuitamente para Android. A expectativa é de que as versões para iOS e Windows Phone sejam lançadas em dois meses. Mais de 700 downloads foram realizados até o momento.

Santiago e Glasser também estão desenvolvendo um plano de negócios. Eles pretendem buscar empresas interessadas em patrocinar a ideia, e assim conseguirem a monetização necessária para expandir cada vez mais as funções do aplicativo.

O obetivo do programador é ampliar a proposta para outras deficiências, como a visual, e levar o app também para outros países. “Quero continuar programando, empreendendo e trazendo novas ideias para ajudar pessoas deficientes. Para mim, o Da Pra Ir é um sonho de empreender ajudando a sociedade”, afirma.


terça-feira, 3 de março de 2015

Editais de concursos não podem limitar a entrada de deficientes

Deu no PCD Online


A regra vale desde que a deficiência não interfira na profissão, afirma o procurador Thiago Lacerda Nobre, do Ministério Público Federal em Jales, no interior de São Paulo. Por lei, 5% das vagas em concursos são reservadas para deficientes.

 Ele [o candidato com deficiência] não pode prestar [concurso] para ser Policial Militar se for cego, para trabalhar na rua, por exemplo. Mas, se for um serviço administrativo e ele for cadeirante, não tem problema nenhum [entrar na polícia].
Não norma geral que restrinja os concursos públicos para deficientes, afirma o procurador. Cada caso deve ser analisado individualmente, pela documentação enviada na inscrição ­ como atestados médicos e exames. Os documentos devem ser solicitados pelo órg2ão que realiza a prova.
­ O deficiente, por lei, tem direito a concorrer às vagas, desde que a deficiência dele não atrapalhe minimamente a condição do cargo. Então esse primeiro exame [dos documentos] visa analisar se a deficiência da pessoa se enquadra entre o que não é problema para o trabalho e também se ela pode prestar [o concurso]. Não é todo tipo de deficiência que permite que ela dispute o concurso.
Assim como aconteceu na inscrição de João Paulo Buosi, o órgão avalia se o candidato está apto a se inscrever para aquela vaga. Nesse momento e na hora da perícia, o deficiente pode ser barrado.

segunda-feira, 2 de março de 2015

SEAD está recebendo Currículos de Pessoas com Deficiência

Da SEAD

As Pessoas com Deficiência interessadas no mercado de trabalho podem enviar seu currículo para a SEAD(Superintendência Estadual de apoio à Pessoa com Deficiência)  e o setor de Empregabilidade estará enviando para as empresas cadastradas analisarem e agendarem entrevistas.

Os interessados podem enviar seus currículos pelo e-mail: empregapcd@gmail.com
ou mais informações pelos contatos: 3183-3208/ 3183-3209

Endereço: Rua João Ivo da silva n°342- Madalena, Recife - PE

Prazo para regularizar Título de Eleitor começa. Pessoas com Deficiência não terão o título suspenso

Do G1

Quem não resolver pendência até 4 de maio, terá documento cancelado.


Começa nesta segunda-feira (2) o prazo para regularização do título de eleitor de quem não compareceu às três últimas votações e não justificou a ausência.  De acordo com a Justiça Eleitoral, 1.782.035 brasileiros estão nessa situação. Quem não resolver a pendência até 4 de maio, terá o  título cancelado.
A regularização não é necessária para eleitores com menos de 18 anos ou com mais de 70, para os quais o voto é facultativo. Pessoas com deficiência e que têm dificuldade de cumprir as obrigações eleitorais também não terão o título suspenso.

Para regularizar a situação, o eleitor deve comparecer ao cartório eleitoral com um documento oficial com foto e o título, além dos comprovantes de votação, de justificativa e de recolhimento da multa ou dispensa da multa.

Para efeito de cancelamento, são consideradas eleições para todos os cargos (prefeito, presidente, etc), além de eleições suplementares e referendos. Se um eleitor deixou de votar no primeiro e no segundo turno de um mesmo pleito, terá duas faltas registradas. Não é contabilizada ausência em eleições anuladas por determinação da Justiça.


Quem tem o título de eleitor cancelado pode ficar impedido de retirar passaporte ou carteira de identidade, de receber salários de função ou emprego público e de obter alguns tipos de empréstimos. Também pode enfrentar dificuldades para ser nomeado em concursos públicos ou fazer renovação de matrícula em estabelecimento público de ensino.
Quem quiser verificar se tem pendência com a Justiça Eleitoral pode consultar as listas que estão disponíveis nos cartórios eleitorais ou então fazer uma busca no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aqui. Nenhum tipo de notificação, seja por correspondência ou email, será enviada pelas autoridades.

Dos 1.782.035 eleitores em situação irregular, a maior parte, 498.681, está em São Paulo. Em seguida, 192.858 estão no Rio de Janeiro e 155.398 em Minas Gerais. Os brasileiros que vivem no exterior e podem ter o título cancelado somam 34.050, sendo 4.542 em Nova York e 2.657 em Lisboa.

Em 2013, 1.354.067 eleitores tiveram seus títulos cancelados por não terem votado nem justificado nas três últimas eleições realizadas até 2012. Em 2011, foram cancelados 1.395.334 títulos.

domingo, 1 de março de 2015

Central 1x0 Sport. Lei sendo cumprida!





Acabei de chegar do grande jogo Central 1X0 Sport pelo campeonato Pernambucano de Futebol, aqui em Caruaru no estádio José Luiz de Lacerda! Sou torcedor do Sport de coração desde criança! E quando comecei a morar em Caruaru desde de 1986, primeiro morei na Nova Caruaru e depois na Rua-Walfredo Nunes 233, bem pertinho do estádio na rua do instituto de Olhos comecei a frequentar o estádio, antes era o PV-Pedro Victor de Albuquerque e hoje o Lacerdão! Era difícil o acesso para às pessoas com Deficiência, meus irmãos e painho sempre me transportava no suor degrau por degrau lá pra cima na Arquibancada aonde fica a torcida do Leão!

E hoje fui gritar o cazá, cazá, cazá...Mas sem precisar de ser conduzido por 4 pessoas de degrau por degrau!
Vi que a lei 13.857, de 26 de Agosto de 2009 está sendo cumprida! Sempre cobrávamos no COMUD-Conselho Municipal de Defesa dos direitos das Pessoas com deficiência!

Na íntegra confira a lei e mais imagens

LEI Nº 13.857, DE 26 DE AGOSTO DE 2009.
Dispõe sobre a obrigatoriedade de reserva e adaptação de lugares para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida.

Art. 1º Os teatros, salas de cinema, espaços de cultura, casas de espetáculos e shows artísticos estabelecidos no Estado de Pernambuco deverão destinar, no mínimo, 3% (três por cento) de seus lugares e/ou espaços, para uso exclusivo de pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

§ 1º Os assentos deverão estar situados em local de fácil acesso aos usuários deficientes ou com mobilidade reduzida, e deverão ter boa visibilidade.§ 2º Os lugares reservados para o cumprimento ao disposto nesta Lei deverão ser identificados preferencialmente com o símbolo internacional de acessibilidade ou por avisos que os diferencie dos assentos destinados ao público em geral.

Art. 2º Os estabelecimentos alcançados pela presente Lei deverão, de igual forma, adaptar-se para o acesso e uso por usuários de cadeiras de rodas.§ 1º A adaptação referida no caput consubstancia-se, sem prejuízo de outras melhorias, na instalação de:

I - balcões de atendimento adaptados à altura dos cadeirantes;II - rampas de acesso;III – elevadores com capacidade para transporte de pessoas usuárias de cadeiras de rodas;IV - portas cuja largura comporte a passagem de cadeiras de rodas;V - aparelhos sanitários apropriados para o uso de pessoas com deficiência;VI - local que possa acomodar os frequentadores dependentes de cadeiras de rodas.§ 2º Estarão desobrigados do cumprimento da presente Lei, total ou parcialmente, aqueles estabelecimentos que apresentarem laudo técnico firmado por profissional habilitado, comprovando a impossibilidade de adaptar-se para os fins previstos nesta Lei.Art. 3º É concedido o prazo de 1 (um) ano, contado da publicação desta Lei, para que os estabelecimentos dispostos no caput do artigo 1º realizem todas as adaptações necessárias e exigidas na presente Lei. Parágrafo único.

Transcorrido o prazo previsto no caput, ficarão os estabelecimentos que descumprirem esta Lei sujeitos às seguintes penalidades:I – advertência, na primeira autuação;II - multa de R$ 1.500,00 (Hum mil e quinhentos reais), se não sanada a irregularidade no prazo de 30 (trinta) dias, após a advertência, sendo seu valor atualizado pelo IPCA ou por qualquer outro índice que venha a substituí-lo;III – multa de R$ 2.500,00 (Dois mil e quinhentos reais), se não sanada a irregularidade no prazo de 30 (trinta) dias, após a aplicação da multa prevista no inciso II, sendo seu valor atualizado pelo IPCA ou por qualquer outro índice que venha a substituí-lo;IV - multa de R$ 3.000,00 (Três mil reais), por mês, até que seja sanada a irregularidade, caso as adaptações não tenham sido providenciadas no prazo de 30 (trinta) dias, após a aplicação da multa prevista no inciso III, sendo seu valor atualizado pelo IPCA ou por qualquer outro índice que venha a substituí-lo.Art. 4º Competirá ao Poder Executivo regulamentar a presente Lei.Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação.Art. 6º Revogam-se as disposições em contrário


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

MPF em Pernambuco abre seleção de estágio em direito.10% do total das vagas são para as pessoas com deficiência

 Do G1 PE

Bolsa de estágio é de R$ 800, além de auxílio-transporte.
Pré-inscrições serão realizadas entre 16 e 20 de março.


O Ministério Público Federal em Pernambuco vai selecionar estagiários na área de direito para atuar na Procuradoria da República em Pernambuco (no Recife), Procuradoria da República em Garanhuns e Procuradoria da República Polo Petrolina/Juazeiro. A bolsa é de R$ 800, além de auxílio-transporte de R$ 7 por dia de atividade. A jornada é de 20 horas por semana.

As pré-inscrições serão realizadas entre 8h do dia 16 de março e 18h de 20 de março, exclusivamente pelo site do órgão, onde também está disponível a íntegra do edital. Os estudantes deverão preencher ficha de inscrição relativa à unidade do MPF para que desejam concorrer. A validação presencial das inscrições deverá ser feita de 23 a 27 de março, das 13h às 18h, nas unidades para onde realizaram as pré-inscrições.

Podem participar estudantes que tenham concluído, pelo menos, 40% da carga horária ou dos créditos do curso, em instituições de ensino que firmaram convênio com o MPF. A lista está disponível no edital.

A validade da seleção é de um ano a contar da publicação do resultado, prazo que pode ser prorrogado por igual período. É reservado o percentual de 10% do total das vagas a pessoas com deficiência e/ou participantes do Sistema de Cotas para Minorias Étnico-Raciais.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Menino autista não tinha amigos, mas ninguém faltou ao aniversário

Deu no Ptjornal.com

Glenn Buratti nunca vai esquecer a festa do sexto aniversário. Todos os amigos deste menino, que sofre de autismo, inventaram uma ‘desculpa’ para não aparecer. A mãe confessou no Facebook estar “de coração partido” e toda a comunidade respondeu: até o xerife apareceu, de helicóptero.

A festa do sexto aniversário de Glenn Buratti, um menino com autismo que vive no condado de Osceola, na Flórida (EUA), está a emocionar as redes sociais norte-americanas.
Apesar de ter convidado os colegas de escola e os amigos com antecedência, ninguém foi à festa. Todos enviaram uma ‘desculpa’ para faltarem ao dia mais importante de um menino: a festa de aniversário.

 A mãe, Ashlee Buratti, desabafou no Facebook, confessando estar “de coração partido” ao ver o filho esperar pelos ‘amigos’ que não iam aparecer. “Sei que parece tolice estar a queixar-me, mas estou de coração partido por causa do meu filho”, escreveu.
O desabafo da mãe, realizado numa página da comunidade de Osceola, tornou-se viral em poucos minutos. Vários desconhecidos enviaram mensagens a dizer que tinham filhos da mesma idade e a perguntar se podiam aparecer para a festa.

O sexto aniversário de Glenn Buratti foi festejado com mais 15 crianças e 25 adultos que o menino nunca tinha conhecido

“Uma menina deu-lhe uma bicicleta nova. Um menino trouxe a câmera e passou boa parte do tempo a tirar fotografias à nossa família e depois deu-nos as fotos. Foi sensacional. As pessoas que vieram eram maravilhosas”, contou Ashlee Buratti, citada pelo Around Osceola.
Mas um aniversário de um menino, para ser inesquecível, tem de meter helicópteros. Já o encontro seguia animado quando o telefone tocou: era o xerife da localidade a avisar que ia sobrevoar a casa, a baixa altitude, para que o menino pudesse ver o helicóptero da polícia e acenar. Por essa altura, já todo o departamento da polícia estava na festa.

 Refira-se que a festa não terminou naquele dia, um domingo. Na quarta-feira, os bombeiros apareceram para celebrar com Glenn Buratti. Levaram várias viaturas, para satisfação do menino, e ainda presentes. “Apareceram apenas para desejar um feliz aniversário”, acrescentou a mãe.