Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, estudante, estou novamente como presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU,bailarino e agora,secretário e conselheiro do COMUD- Conselheiro municipal de defesa dos direitos da pessoa com deficiência, pai de um belo filho, marido de uma linda mulher .

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Pessoas com deficiência têm o direito de tomar decisões por conta própria, enfatiza comitê da ONU


O Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CRPD) afirmou, nesta terça-feira (22), que as pessoas com deficiência devem ter os mesmos direitos que todo mundo na hora de tomar decisões sobre suas vidas – incluindo o direito de se arriscar e cometer erros. A declaração foi feita no final da reunião do organismo, que teve por objetivo atualizar suas diretrizes.

“A liberdade de decisão deve ser concedida a todas as pessoas com deficiência, independente de quanto auxílio eles precisem”, disse um dos membro do Comitê, Theresia Degener. “Essas pessoas, inclusive aquelas com problemas cognitivos ou psicossociais, devem ser apoiadas em suas decisões, ao invés de terem as decisões tomadas por elas – mesmo que supostamente isto ocorra para ‘seu próprio bem’”.

O Comitê observou que, embora o Artigo 12 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência assegure direitos iguais perante as leis, muitas dessas pessoas são despojadas de capacidade jurídica – frequentemente com base em avaliações de suas condições mentais – e privadas de direitos fundamentais como o de votar, casar e formar famílias.

Ao detalhar as obrigações dos Estados quanto ao direito de decidir das pessoas com deficiências, o Comitê reconheceu que nem sempre é possível determinar com precisão o que uma pessoa quer. Nesses casos, afirmou, as decisões devem ser baseadas na “melhor interpretação de seus desejos e preferências”, e não meramente no que é considerado ‘o melhor’ para o indivíduo.

FONTE-ONUBR

Kemp divulga direito da pessoa deficiente no transporte aéreo


Muitos desconhecem, mas o transporte aéreo de pessoas com necessidades especiais com o objetivo de tratamento médico tem benefícios assegurados pela legislação. O deputado Pedro Kemp (PT), 2º secretário da Assembleia Legislativa, usou a tribuna da sessão plenária de ontem (22) e ressaltou a importância de maior divulgação da determinação da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil), que normatiza o atendimento especial a esse público.

A Resolução 009, de 5 de junho de 2007, da Anac, aprovou a Noac (Norma Operacional da Aviação Civil), que dispõe sobre o acesso ao transporte aéreo de passageiros com necessidade e assistência especial. A norma garante à pessoa com deficiência o direito a um acompanhante que, por sua vez, terá desconto de, no mínimo, 80% da tarifa da passagem. O acompanhante deverá viajar na mesma classe e em um assento ao lado da pessoa portadora de deficiência.

O parlamentar citou uma situação ocorrida em Campo Grande, quando a mãe de uma criança com Síndrome de Down foi indenizada por danos morais ao ter o direito ao desconto recusado pela empresa aérea. O fato aconteceu logo após a Anac apresentar a Resolução, há 7 anos. “Ela necessitava levar a filha para uma cirurgia em São Paulo e, ao ter conhecimento da norma, exigiu o desconto mas a empresa se negou a concedê-lo. Ela então recorreu à Justiça e ganhou a ação sendo indenizada em dez mil reais”, relatou Kemp, que lamentou a forma como a empresa conduziu o caso.

“A resolução é de extrema importância e as empresas estão sujeitas à fiscalização”, ressaltou o deputado. De acordo com ele, há casos em que é imprescindível o embarque de acompanhantes para garantir a assistência a deficientes, como é o caso de pessoas portadoras da Síndrome de Down. “As pessoas devem fazer valer esse direito como fez essa mãe. Infelizmente, ela precisou recorrer à Justiça, foram anos de luta”, disse.

Para Kemp, é necessário maior divulgação da Resolução da Anac para que o direito ao acompanhante e ao desconto sejam garantidos sem necessidade de ações judiciais. “É um direito que vem facilitar a vida de muitas famílias, principalmente as de baixa renda, que já têm que enfrentar despesas com hospedagens e com o tratamento”, afirmou.

O abatimento na tarifa é garantido aos acompanhantes de portadores de deficiência, idosos com mais de 60 anos, gestantes, lactantes e portadores de Síndrome de Down. Os acompanhantes devem reivindicar o desconto nas tarifas com antecedência e justificar o fato por meio de formulários e laudos médicos.

FONTE- O PROGRESSO

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Papa lava pés de 12 pessoas com deficiência


O Papa Francisco oficiou nesta quinta-feira (17) a missa de Quinta-Feira Santa, que relembra a última ceia, e, reproduzindo Jesus, lavou os pés de 12 pessoas, nesta ocasião pessoas com deficiência da fundação italiana Don Carlo Gnocchi, entre elas um muçulmano.

A cerimônia "In Coena Domini" aconteceu no Centro Santa Maria da Providência, no bairro da periferia romana de Casal de Marmo, ao qual o papa argentino chegou por volta das 17h15 locais (12h15 de Brasília) para presidir sua segunda Quinta-Feira Santa desde que foi eleito sucessor de Bento XVI em março do ano passado.

O pontífice foi recebido por vários curiosos, aos quais se dirigiu para apertar suas mãos e beijar e abençoar as crianças. Já no púlpito do templo, Francisco pronunciou uma homilia improvisada na qual explicou que o gesto de Cristo de lavar os pés dos 12 apóstolos representa a imagem de "um Deus que se fez servo".

Francisco explicou que Jesus fez um trabalho de escravos, que tem sua remota origem na obrigação destes de lavar os pés de seus amos antes de entrarem em casa para não sujar o chão.

"Agora eu farei este gesto, mas todos nós, em nosso coração, pensemos nos outros, no amor que Jesus nos diz que temos que ter para com os outros, em como podemos serví-los melhor, porque assim Jesus o quis", afirmou.

Foi então que Francisco lavou os pés destas 12 pessoas de idades que variam de 16 a 86 anos. O mais jovem era Osvaldinho, de 16 anos, procedente de Cabo Verde e tetraplégico desde que, em agosto do ano passado, lesionou a coluna vertebral ao mergulhar no mar em uma área rasa. A mais idosa era Angélica, de 86 anos e que está em reabilitação desde o ano passado, quando caiu e fraturou a prótese de quadril que utilizava.

Outra pessoa que teve os pés lavados pelo pontífice foi Hamed, de 75 anos, um muçulmano procedente da Líbia e que sofre de graves lesões neurológicas desde que sofreu um grave acidente de carro.

Francisco não foi o primeiro papa a visitar um centro desta Fundação. Antecessores como Pio XII, João XXIII, Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI também acolheram ou visitaram seus integrantes.

Com a cerimônia da Quinta-Feira Santa, é lembrada a Última Ceia e a oração de Cristo no Jardim do Getsêmani, que esteve sucedida por sua detenção e posterior calvário.

No ano passado, durante sua primeira Semana Santa como papa, Francisco optou por lavar os pés de 12 jovens reclusos em um centro de reabilitação de menores de Roma.

Francisco oficiou também nesta quinta no Vaticano a Missa Crismal, que marca o começo do Tríduo Pascal. Nesta sexta (18), o papa vai oficiar a missa da Paixão do Senhor, na capela papal da Basílica de São Pedro, e à noite presidirá, no Coliseu de Roma, a tradicional Via-Sacra.

Fonte- G1

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Cão que perdeu as quatro patas anda e pula normalmente graças a próteses

Segundo veterinários, é cada vez mais comum uso de próteses em cães.


O cão Naki'o, sem raça definida, foi encontrado por um casal do estado do Nebraska, nos Estados Unidos, com as patas e o rabo presos no gelo. As quatro patas tiveram de ser amputadas. Mas um veterinário especializado nesse tipo de caso desenvolveu quatro próteses para o cachorro. Hoje ele corre e pula como qualquer outro cão.

"No início, Naki'o era cauteloso e reservado. Seis meses depois de tudo isso acontecer, ele se tornou apenas um cara divertido que gosta de socializar", diz Martin Kaufmann, sócio de uma clínica veterinária especializada em próteses e órteses chamada OrthoPets.

Agora, Naki'o vive com o casal que o encontrou. Mais veterinários estão usando cadeiras de roda, órteses e próteses para melhorar a vida dos cachorros que perderam membros devido a deformidades, infecções ou acidentes, segundo especialistas.  

Esse movimento é impulsionado por donos de bichos que são persistentes nos cuidados com seus animais de estimação e não ficam desencorajados pelos custos de equipar seus cães com deficiência com esse tipo de equipamento. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos têm visto um grande avanço tecnológico nessa área, estimulado pelo número de soldados americanos que voltam feridos da guerra. Os veterinários estão adaptando essas tecnologias para satisfazer as exigências cada vez maiores dos donos de animais.

 
"Há tantas coisas que podemos fazer para resolver problemas mecânicos. Se você tem partes quebradas, podemos substituí-las", diz Kaufmann. O custo da maior parte dos equipamentos varia de US$ 150 a US$ 2 mil, mas podem custar mais, segundo o veterinário. Só a clínica de Kaufmann atende cerca de 2 mil animais por ano.

Fonte G1