Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

10 coisas que todos podem aprender com pessoas "Deficientes"

Aos 14 anos, Tiffiny Carlson sofreu um acidente e tornou-se quadriplégica. À partir da experiência que mudou completamente sua vida, ela aprendeu algumas lições que talvez sejam úteis para qualquer um, independente de sua condição. Alertas, dicas e lições; isso tudo no seu texto “10 coisas que o mundo pode aprender com pessoas deficientes”. Confira: - See

1) A felicidade verdadeira pode realmente ser encontrada num corpo “quebrado”
A maioria das pessoas dizem que preferem morrer do que viverem com um corpo incapaz, o que me faz rir. Porque a maior parte das pessoas sem deficiência não conseguem se imaginar felizes com um corpo permanentemente “quebrado”. Mas acontece que o cérebro humano é capaz de se adaptar facilmente a uma transição como esta de “tornar-se deficiente”, se você deixar, óbvio.
Eu pensei que jamais seria feliz novamente. Mas depois de alguns anos após a paralisia eu estava feliz. Eu encontrei a felicidade pelo fato de estar viva, pela família e amigos. Eu gostaria, sim, de poder voltar a andar, mas a verdadeira felicidade mora em mim.

2) Com paciência você pode passar por quase tudo
Falaram pra você, quando era criança, quão importante é ser paciente, e quando você vira adulto você percebe como isso era verdade. Mas quando você possui alguma deficiência, a paciência necessária está em outro nível. Muitas vezes temos que esperar muito mais por algumas coisas e com o tempo viramos mestres nisso. Paciência me ajudou até emocionalmente a superar as minhas incapacidades físicas para determinadas ocasiões.

3) Acidentes podem e vão acontecer
Quando você ouve que alguém tornou-se deficiente após um acidente, raramente você vai pensar que isso pode acontecer com você, normalmente você enxerga como se fosse um programa de TV que jamais se tornará realidade. Mas a dura realidade é que vários acidentes que causam alguma deficiência acontecem todos os dias, e podem acontecer com você ou com alguém que você conheça. A possibilidade com que isso pode ocorrer pode parecer mínima, mas quando você já passou por algo do tipo você fica mais cauteloso.

4) Deficiências podem atingir qualquer um
Talvez não há doenças congênitas na sua família, mas por acaso seu primeiro filho nasce com paralisia cerebral. É chocante encontrar-se subitamente num novo mundo onde você tenha ou há alguém muito próximo que possui alguma deficiência. A sabedoria aqui está em nunca se esquecer de que todos nós somos incapazes fisicamente, e nunca pensar que é exceção. Todos morreremos um dia, e todos somos humanos.

5) Não se estresse por coisas pequenas
Ter alguma deficiência pode ser muito estressante, cadeira-de-rodas quebrada, plano de saúde cortado, cuidadores que se demitem, todos nós aprendemos cedo a não deixar que nossos níveis de stress subam muito. Se subissem nenhum de nós passaríamos dos 40. Nós nos confrontamos com momentos estressantes sempre, então aprendemos a priorizar o que realmente importa. É por isso que muitos de nós parecemos ser tão “zen”. Os ingressos do show esgotaram? O restaurante está lotado? Grande coisa. Poderia ser muito pior.

6) Ser diferente é uma oportunidade
A maioria das pessoas não gostam de ser diferente, mas não é tão ruim quanto parece. Na verdade, quando você vive uma vida como uma pessoa diferente, você aprende instantaneamente como aproveitar os bons momentos, e como têm momentos divertidos por ser assim. Você conhecerá pessoas incríveis e encontrará oportunidades especiais.

7) “Enquadrar-se” já saiu de moda
Quando você tem uma deficiência, você tem a liberdade de ser exatamente quem você quer ser, considerando que é difícil se encaixar na multidão, e abraçar esse poder é o sentimento mais libertador de todos. Você não precisa se enquadrar para se sentir bem consigo mesma achando que assim você pertencerá a algo. Você pertence a você mesmo, e isso é incrível!

8) Você não pode julgar alguém pela aparência
Você escuta isso sempre, não julgue um livro pela capa. Desde Stephen Hawking, o homem da cadeira-de-rodas que não consegue falar, e é uma das pessoas mais inteligentes do mundo, até Francesco Clark, um CEO de uma grande empresa de produtos de beleza; jamais pense que ter uma deficiência torna a pessoa pior, ou menos impressionante, nunca se sabe o que uma pessoa incapaz é capaz de fazer.

9) A vida é curta. Abrace tudo.
Ter alguma deficiência pode também, infelizmente, causar um impacto na sua vida. Para muito de nós viver 95 anos, provavelmente, não é algo que vai acontecer. É por isso que a maioria das pessoas com deficiência descobriram o segredo da vida, aproveitar cada dia que nos resta. Cada um de nós tenta fazer isso de alguma forma, mas a maioria falha. Portadores de deficiência, por outro lado, aprenderam isso e executam com maestria, apreciam desde um nascer do Sol até uma xícara de café, nós sabemos como a vida pode ser difícil, por isso sabemos também como tirar proveito de cada momento.

10) Fraqueza nem sempre é algo negativo
Quando vivemos com alguma deficiência, aprendemos a aceitar ajuda, e a pedir por ajuda. Com o tempo percebemos que todos precisamos de ajuda em algum sentido, até mesmo atletas ou cientistas. Isso é algo inevitável e parte fundamental da experiência em ser humano.

Fonte: site QGA.


Nenhum comentário:

Postar um comentário