Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

sábado, 4 de janeiro de 2014

Shumacher pode se tornar uma pessoa com "Deficiência".Artéria vertebral esquerda teria sido destruída em acidente de moto na Espanha

Schumi tem lado esquerdo do cérebro afetado desde 2009, afirma médico
Colega teme paralisia e perda da fala

O medo de que Michael Schumacher possa ter sequelas caso se recupere do trauma sofrido em uma estação de esqui em Méribel ganhou ainda mais fundamento após as revelações de um médico alemão. Em entrevista ao jornal “Bild” publicada neste sábado, Johannes Peil, chefe da clínica que tratou o ex-piloto após um acidente de moto em 2009, revelou que o heptacampeão mundial da Fórmula 1 já convivia com o lado esquerdo do cérebro afetado desde a ocasião.

O acidente a que o médico se refere aconteceu durante testes no circuito de Cartagena, na Espanha. Schumacher pilotava uma Honda CBR 1000 a 230km/h e caiu após frear numa curva, batendo a cabeça no asfalto. Desacordado, foi levado ao Hospital Virgen de la Arrixaca, mas recuperou a consciência durante o trajeto. Na época foi divulgado que uma ressonância magnética apontou apenas um leve traumatismo, sem danos graves. O piloto então acompanhou a evolução do caso na clínica esportiva Bd Nauheim, dirigida por Peil. O médico explica que o novo dano, somado ao antigo, pode sim ter consequências mais graves.

- A artéria vertebral esquerda havia sido destruída, prejudicando a irrigação do cerebelo. Naquela época foi uma sorte que a artéria direita tivesse ficado intacta por ter maior capacidade do que a esquerda, o que manteve um melhor equilíbrio. Mas agora isto não é mais relevante, já que a artéria vertebral direita e a circulação colateral estão normalizadas. Apenas na fase aguda imediatamente após o acidente é que o trauma adicional na artéria direita pode ter causado consequências de longo prazo – disse ao “Bild

Nenhum comentário:

Postar um comentário