Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

domingo, 31 de janeiro de 2016

Na Alemanha, a acessibilidade está em toda a parte

Conheça 10 cidades alemãs que eliminaram barreiras e facilitam a deficientes e pessoas com baixa mobilidade fazer turismo e andar pelas ruas ou de transporte público


Brasileiros que viajam à Alemanha, em especial aqueles com mobilidade reduzida, costumam fazer altos elogios à boa acessibilidade de suas cidades. Exemplo? Bondes com piso baixo que facilitam o acesso ao transporte público de cadeirantes, idosos e crianças; sistemas de orientação para cegos e pessoas com baixa visão em espaços públicos como museus, estações do transporte e pelas ruas; visitas guiadas, adaptadas a deficientes, que incluem experiências sensoriais; isso tudo, além, é claro, de calçadas bem feitas, niveladas e sem obstáculos.

Essa percepção de um lugar 100% acessível se confirma agora na página Cidades Mágicas do portal de turismo Germany Travel. O site (veja em http://www.germany.travel/pt/ms/magic-cities/topicos/acessibilidade/acessibilidade.html) destaca esta semana o turismo sem barreiras em dez importantes cidades alemãs: Dresden, Düsseldorf, Frankfurt, Hamburg, Hannover, Köln, Leipzig, München, Nürnberg e Stuttgart.

Além de destacar o que cada local oferece como atração ao visitante, a página traz um mapa interativo para cada uma destas cidades. Você ficará sabendo, por exemplo, que no transporte público de Dresden todos os ônibus e cerca de 90% dos bondes são de piso baixo e mais de um terço de todas as paradas são sem barreiras. E que em Hamburgo, pontos históricos como Speicherstadt (cidade dos armazéns), ou o novo HafenCity, são acessíveis por transporte público, tanto de dia como à noite. Além disso, os ônibus todos têm piso baixo, com técnica de inclinação e rampas.

Leia também:
A um ano da paralimpíada, Rio tem desafios para tornar cidade acessível 
Que tal 'cadeirar' por Miami?
Acessibilidade no Canadá: muito além dos jogos Parapan-americanos

Fonte-MOBILIZE

Um comentário:

  1. Oi amigo, sou Damião do blog inclusão diferente, www.inclusaodiferente.net - que tal uma parceria entre blogs, se quiser também podemos personalizar seu blog deixando - o com cara de site, abçs fico no seu aguardo.

    ResponderExcluir