Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Rapaz com paralisia cerebral e sua mãe se formam em direito no RN

Com informações do UOL

Cristian Emanuel Oliveira de Vasconcelos, de 24 anos, se formou bacharel em Direito junto com sua mãe, Nilda de Oliveira e Silva, de 60 anos, em uma universidade particular de Natal, no Rio Grande do Norte.
A história de superação dos dois se torna ainda mais especial pelo empenho dessa mãe, que começou a frequentar o curso como acompanhante do filho que é cego e tem paralisia cerebral.
"Comecei como acompanhante de Cristian, mas logo depois senti a necessidade de estudar junto com ele porque não bastava só ler. Ele interpretava e debatia o assunto comigo", contou Nilda, em entrevista ao UOL.


A mãe conta que nunca duvidou da capacidade de Christian, apesar de suas limitações físicas.
O jovem estudou em uma escola sem adaptações para cegos, mas também foi alfabetizado em braile aos seis anos. Quando chegou o momento de entrar para a faculdade, ele se mudou com a família de Senhor do Bonfim (BA) para Natal (RN) para fazer a graduação em uma faculdade que atendesse suas necessidades.
De acordo com a coordenação do curso, ele foi um dos estudantes mais dedicados e obteve nota 10 no Trabalho de Conclusão de Curso, com o tema: "A pessoa com deficiência e o cumprimento de pena privativa de liberdade no sistema prisional em Natal".
Christian pretende atuar na área criminalística e também no cumprimento dos direitos da pessoa com necessidade especial.
Leia a matéria completa no UOL.
Unificação de material didático promove a inclusão de aluno cego

Nenhum comentário:

Postar um comentário