Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

sexta-feira, 11 de março de 2016

Estudante cego obtém 720 pontos na redação do ENEM

Aos 39 anos, o estudante Antonio Félix da Silva Filho obteve 720 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM. Ele é morador do povoado Zundão, localizado na zona rural de Altos (PI), onde mora com sua mãe.
Antonio teve perda total da visão ainda jovem, quando tinha apenas 12 anos de idade e cursava a quarta série do ensino fundamental. Com as dificuldades que surgiram, especialmente a aceitação da deficiência visual, deixou de estudar e se afastou da escola por algum tempo.
Em 2011, decidiu estudar e se matriculou em uma escola da rede municipal, onde participou da modalidade de ensino EJA – Educação para Jovens e Adultos. O recomeço não foi fácil. Mas, mesmo tendo acesso apenas às aulas e provas teóricas, ele surpreendeu os professores com boas notas.
O estudante concluiu o ensino fundamental em 2013. A partir daí, passou a cursar o ensino médio em uma escola da capital, pois, paralelo ao ensino regular, tinha a possibilidade de estudar no Centro de Apoio ao Deficiente Visual- CAP, e assim ter acesso ao Braile.
Na entidade, ele teve aulas de orientação e mobilidade, onde aperfeiçoou as habilidades de locomoção. Entre outras disciplinas, ainda frequentava aulas de Informática e Sorobã (ábaco japonês utilizado no Brasil por deficientes visuais em exercícios matemáticos).
Após concluir o ensino médio, o estudante participou do ENEM e foi o único candidato do município a receber atendimento específico, sendo que no local da prova, ficaram apenas o candidato, os dois auxiliares e um fiscal.
Com o bom desempenho no exame, especialmente na prova de redação, Antonio espera uma vaga no curso de direito. Ele diz que enquanto não conseguir se formar na área, irá persistir. “Tenho um objetivo e jamais vou desistir. Se você tem um sonho, corra atrás dele e faça por onde. O que realmente é importante não se ganha facilmente. A grande verdade é que a vida só tem graça assim. Ela é feita de batalhas para que quando alcançarmos um objetivo saibamos valorizá-lo verdadeiramente”, finalizou ele.

Fonte- REVISTA INCLUIR

Nenhum comentário:

Postar um comentário