Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA

quarta-feira, 4 de maio de 2016

UFPE terá novo sistema de câmeras para melhorar segurança no campus

A partir do próximo mês, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) começa a testar uma nova tecnologia que promete melhorar a segurança no campus Recife, localizado na Zona Oeste da capital pernambucana. Trata-se de um equipamento de videomonitoramento, um totem de 10 metros de altura, que está sendo desenvolvido no estado. Além disso, até o segundo semestre, 91 novas câmeras serão instaladas na Cidade Universitária.

As ações foram anunciadas nesta quarta-feira (4), após reunião do Conselho de Segurança da UFPE com representantes da Polícia Militar, de agências bancárias da área e da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), na reitoria da instituição. O objetivo era discutir a segurança não só dentro da universidade como no entorno.

 Segundo a Superintendência de Segurança da UFPE, o equipamento, denominado Kule 360, está sendo fabricado pela companhia Bank System e será instalado em frente ao Centro de Artes e Comunicação (CAC) no início do próximo mês. Medindo 10 metros de altura, o aparelho contará com 11 câmeras de vigilância e um drone na parte de cima funcionando 24 horas, além de um dispositivo pelo qual qualquer pessoa poderá fazer uma denúncia diretamente à Central de Monitoramento da universidade.

“Qualquer pessoa que se sentir insegura em qualquer momento, é só apertar um botão e vai falar com um dos operadores [da Central de Monitoramento]. Esse equipamento tem uma iluminação LED com alcance de 500 metros. Vai monitorar toda aquela área do CAC, do CFCH [Centro de Filosofia e Ciências Humanas], do Colégio de Aplicação, do Restaurante Universitário além do próprio CAC”, explica o superintendente de Segurança da instituição, Armando Nascimento.

Ainda de acordo com o superintendente, a aquisição do aparelho não vai gerar custos à UFPE. “O produto está em fase de teste. Se a universidade aprovar, nós vamos receber de doação esse equipamento, que deve entrar em linha de produção e a universidade certamente vai comprar mais unidades para espalhar pelo campus”, esclarece.

Outra medida anunciada foi a instalação de mais 91 câmeras. Atualmente, são 12 em funcionamento. “Já estamos na fase final do processo de licitação. Já estamos com os recursos e só falta chegar os aparelhos. A previsão é que a entrega seja feita em 90 dias, mas acho que antes disso vamos ter os equipamentos funcionando”, prevê.

 Reunião
Diante dos relatos de violência e sensação de insegurança por parte de alunos, professores e funcionários, o Conselho de Segurança da UFPE se reuniu na manhã desta quarta-feira (4) com representantes da Polícia Militar, do Banco do Brasil e da Sudene para discutir o atual esquema de segurança operado em toda a área da Cidade Universitária. Nenhum representante do movimento estudantil e do corpo docente participou do encontro, que também contou com a presença do reitor Anísio Brasileiro.

De acordo com a UFPE, os índices de violência têm diminuído desde fevereiro. Segundo os dados levantados pela Superintendência de Segurança da instituição, em janeiro, o número de ocorrências cresceu 100% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Já em fevereiro, houve redução de 100%, também em relação a 2015. Em abril, o recuo foi de 75%.

Na semana passada, em resposta às críticas da comunidade acadêmica, a instituição decidiu fechar os portões das 23h30 às 4h30. A movimentação no campus da universidade gira em torno de 500 mil pessoas por dia.

Fonte-G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário