Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA

terça-feira, 26 de julho de 2016

5 coisas para nunca se dizer e fazer a um cadeirante

Sabemos que mesmo  os cadeirantes  saindo mais para as ruas e participando mais da vida em sociedade, ainda é natural que algumas pessoas fiquem desconfortáveis por estar perto de uma pessoa que usa uma cadeira de rodas. Por não saber como agir diante dela, acabam cometendo algumas gafes, que às vezes nem "se ligam"  que estejam fazendo.
   Para você que não é cadeirante, aí vai algumas dicas para  evitar de cometer erros diante de um usuário de cadeira de rodas, afinal, assim como existem as boas maneiras para se tratar uma pessoa com educação, também podem existir "boas maneiras" de como se tratar um cadeirante.

1) Vá devagar, você pode receber uma multa.
   Podemos estar sobre quatro rodas, mas por favor, não nos compare com outros veículos de quatro rodas (como um carro).
   Muitos cadeirantes já usam a cadeira de rodas há muito tempo e  certamente já ouviram essa piadinha mais de 100 vezes! Tudo bem que bom-humor é sempre bem vindo, mas sejam mais criativos, essa piada já está mais do que ultrapassada!

2) O que aconteceu com você?
   Percebo que quando um cadeirante pergunta para o outro cadeirante, essa pergunta não incomoda tanto, mas quando aquelas pessoas curiosas, que nem te conhecem, param no meio da rua pra perguntar "Oque aconteceu com você?"... daí irrita mesmo.
   Há inúmeras maneiras educadas de perguntar isso, mas você realmente não deve perguntar antes de conhecê-los um pouco melhor. Realmente não é da sua conta, assim como a forma como você não gostaria que seus problemas pessoais fossem abertos para discussão com estranhos.

3) Como você tem um ROSTO bonito!
   Muitos cadeirantes já devem ter escutado isso, eu mesma já ouvi umas mil vezes...
   No começo eu realmente ficava incomodada com este comentário, pois é a mesma coisa que a pessoa falar "você tem um rosto bonito, mas o seu corpo não". Fala sério gente, muito desnecessário isso! Se achar um cadeirante com um rosto bonito, fale pra ele(a) "como você é bonito(a)", ok?

4) Coitadinhoooo(a)...
   Levante da cadeira, o cadeirante que nunca ouviu isso! Eu duvido que existe algum(a) cadeirante que não foi chamado de coitado(a). Se você nunca foi chamado(a), espere por que seu dia também vai chegar!
   Concordo que existem pessoas em situações bem difíceis, mas sem dúvidas, ser chamado de "coitadinho(a)" só piora as coisas.
   A maioria dos cadeirantes que eu conheço, não tem como chamá-los de coitados; todos têm uma vida um pouco diferente comparado com a vida de um andante, mas todos arrumam maneiras de fazerem tudo o que querem .
   A questão é; as pessoas nem conhecem o cadeirante e já pensam que por depender de uma cadeira de rodas são coitadinhos. Por isso, peço para você procurar conhecer melhor a pessoa que anda em uma cadeira de rodas, antes de tirar alguma conclusão. Desta forma, ao invés de desanimar o cadeirante chamando-o de coitadinho, fala palavras confortantes e animadoras.

5) Não dê esmola para o cadeirante, a não ser, que ele esteja pedindo
   Eu não sei qual a associação que as pessoas fazem, para terem a ideia de que cadeirante necessita de esmola. É claro que existem muitos cadeirantes em situações financeiras bem ruíns, mas já ouvi casos em que cadeirantes que estavam apenas passeando no shopping ou cinema e foram parados por pessoas que lhes deram  moedinhas.
   Eu também quando criança, estava na porta do restaurante esperando minha mãe comprar o almoço, quando ela voltou disse que me viu com um sorrisão enorme, segurando umas moedinhas. Claro que peguei, ninguém mandou o cara me oferecer, então guardei pra comprar um "chiclé" háháhá.
   Mas, a maioria dos cadeirantes ficam numa situação desconfortável quando isso acontece. Por isso, só dê esmola para aqueles que estiverem realmente pedindo.

Carol Constantino
Fonte-Cantinho dos  cadeirantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário