Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Dirigir sem documento é principal infração registrada pelo Detran-PE

No primeiro semestre deste ano, a Operação Trânsito Seguro (OTS), deflagrada pelo Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), aplicou 7.576 multas em motoristas. Foram 1.262 registros por mês ou 42 por dia. A ação também registrou 1.413 infratores.  No topo da lista de cinco infrações mais comuns, aparece a condução do veículo sem o documento obrigatório, com 13,4% das ocorrências.
Em segundo lugar na lista de notificações, ficou o ato de dirigir sem carteira de habilitação ou permissão, com 11,85%. Conduzir veículo sem usar o cinto aparece em terceiro lugar na relação de infrações (8,89%). A lista das cinco infrações mais cometidas é encerrada por dirigir carro sem licenciamento (8,15%) e guiar sem calçado adequado (5,16%).

A Operação Trânsito Seguro, no primeiro semestre deste ano, abordou 23.058 veículos. Desse total, 11.876 eram motos. O objetivo da ação é fiscalizar o cumprimento das normas de trânsito, como uso de cinto e proibição de celular, e colaborar com a Lei Seca.
Segundo o presidente do Detran-PE, Charles Ribeiro, o órgão de trânsito vem investindo em tecnologias para a fiscalização. Os principais instrumentos são o auto eletrônico de infração (talão eletrônico), unidades móveis (veículos dotados de câmeras que fotografam as placas dos veículos, identificando se os veículos possuem débitos ou suspeita de clonagem e roubo), além da verificação de documentos dos veículos e condutores.

Exemplos
O motorista que deixa de registrar o veículo por 30 dias junto ao órgão de trânsito comete infração grave. Leva multa de R$ 127,69 e perde cinco pontos na carteira. Dirigir o veículo sem carteira ou documento é infração gravíssima. O condutor leva multa de R$ 574,62 e perde sete pontos.

Fonte-G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário