Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Governo de PE lança campanha de apoio a crianças com microcefalia


 Campanha para evitar preconceito contra crianças com microcefalia foi lançada pelo governo de Pernambuco (Foto: Agência Black Ninja)

O governo de Pernambuco começa a veicular nesta sexta-feira (1º) uma campanha para amenizar o preconceito e a discriminação contra as crianças com  microcefalia associada ao vírus da zika. A iniciativa, denominada 'Em Pernambuco, quem nasce com microcefalia é recebida pela família com amor, pelo estado com atenção e por todos com respeito’,  prevê a realização de uma exposição itinerante com fotos de famílias pernambucanas, ressaltando o amor, carinho e afeto entre pais e filhos.
A campanha também contará com divulgação do material por meio de anúncios de jornal, TV, internet, além de ônibus e outdoor. Foram produzidos comerciais com depoimentos de pais e responsáveis pelas crianças.
Pernambuco é o primeiro estado a notificar a mudança de padrão de microcefalia em todo o país. Tem, atualmente, 336 casos da malformação confirmados.O governador do estado, Paulo Câmara, destaca que a iniciativa é importante para levar a discussão para a sociedade. Segundo ele, é preciso garantir os direitos e o respeito e a dignidade para essas crianças.


O trabalho contará também com um hotsite. Clicando na página, os internautas poderão deixar mensagens,  por meio de vídeos, fotos e textos, para os bebês com microcefalia que estão nascendo em Pernambuco.
O portal contará ainda com as peças da campanha, fotos das famílias e perguntas e respostas sobre microcefalia, para trabalhar os estigmas sociais relacionados ao tema, além de toda a rede de atendimento descentralizada do estado.

Rede de saúde
No final de 2015, o estado contava com apenas duas instituições que atendiam as crianças com microcefalia:  O Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e a Associação de Apoio à Criança Deficiente (AACD). Historicamente, Pernambuco registrava 12 casos da malformação, em média, por ano.
Atualmente, 24 unidades em todo o estado já prestam algum tipo de atendimento relacionado à microcefalia. A partir deste mês, a UPAE de Limoeiro, no Agreste, e o Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri, no Sertão, vão iniciar o trabalho de reabilitação das crianças.
Até outubro do ano passado, uma criança precisava percorrer, em média, 420 quilômetros para ter um atendimento para microcefalia. Atualmente, de acordo com a Secretaria de Saude de Pernambuco, essa distância foi reduzida para menos de 60 quilômetros de distância.

Pesquisa
Pernambuco também tomou uma iniciativa pioneira no Brasil de fomento à pesquisa científica nessa área. Neste sentido, foram investidos R$ 3 milhões, de recursos das secretarias estaduais de Ciência e Tecnologia e da Saúde, via Facepe, para fomento a estudos que buscam identificar e conhecer melhor o vírus zika.

Fonte-G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário