Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA e Secretário do DA-Diretório Acadêmico do curso de Economia-UFPE,CAA

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Residência Inclusiva

Deficientes físicos e/ou mentais adultos em situação de dependência, sem condições de se sustentarem sozinhos ou que não possuam suporte familiar, podem optar por morar gratuitamente nas residências inclusivas.
São moradias comunitárias adaptadas, com estrutura física acessível, dispondo de equipe multidisciplinar especializada e metodologia adequada para prestar atendimento personalizado e qualificado ao deficiente físico e/ou mental. Cada unidade é organizada em pequenos grupos, de até 10 portadores de deficiência por residência inclusiva, e fica localizada em área residencial, e não em local isolado da comunidade.
É um serviço público de acolhimento gratuito do governo federal, fazendo parte da Proteção Social Especial de Alta Complexidade do SUAS (Sistema Único de Assistência Social).
Não sei quantas cidades pelo Brasil possuem essas casas de amparo, mas na capital de São Paulo já existem residências inclusivas gratuitas nas subprefeituras Aricanduva, Mooca, Santo Amaro, São Mateus, Sé e Vila Prudente.

Maiores informações pelo email protecaosocialespecial@mds.gov.br ou telefone (61) 2030-3175.
Fonte: Distrofico

Nenhum comentário:

Postar um comentário