Quem sou eu

Minha foto
Um ser humano simples com defeitos, virtudes e que a cada dia procura viver de uma forma mais coerente possível para ser feliz. Sou cadeirante desde 1977 devido a poliomielite (Paralisia infantil), blogueiro, ex Locutor do telemensagem Shalom,Palestrante, presidente da A.D.C.C.-ASSOCIAÇÃO DOS CADEIRANTES DE CARUARU, Ex bailarino,ex secretário e conselheiro do COMUD- Conselho municipal de defesa dos direitos das pessoas com deficiência, ESTUDANTE DE ECONOMIA NA UFPE CAA(Passei a emoção é inexplicável)! Primeiro cadeirante aprovado e sem cota em ampla concorrência. Membro do NACE-Núcleo de Acessibilidade da UFPE-CAA. Estudante em pesquisa de extensão em Direitos Humanos-UFPE CAA

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Transporte especial permite que pessoas com deficiência aproveitem o Ciclolazer

Crianças e adultos com deficiência, moradores da Regional CIC, desfrutaram de uma manhã espacial neste domingo (31). Em uma iniciativa da Prefeitura de Curitiba, elas participaram da primeira ação de auxílio transporte, que disponibilizou um micro-ônibus adaptado do programa Acesso para que pudessem conhecer e participar das diferentes atividades inclusivas promovidas pelos programas Ciclolazer e Inclusão Mais Bici, na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico.
Os dois programas oferecem brincadeiras e jogos às famílias nas manhãs de domingo. O skate adaptado é um deles, e permite que crianças com deficiência motora possam experimentar o equipamento. As bicicletas tandem, com dois e três lugares, permitem que cegos experimentem a sensação de pedalar, em companhia do guia ou acompanhante. As experiências também podem ser vividas pelos usuários de cadeira de rodas, com o uso da handbike.

“Parece que a gente tá flutuando”, exclamou dona Julia Twureck, de 73 anos, ao experimentar uma volta de skate na pista especial para pessoas com deficiência. Sem poder andar há pouco mais de um ano, vítima de um AVC, ela participou da programação acompanhada do marido Leônidas. Aproveitando a estrutura, que consiste em um sistema de suspensão por correias acolchoadas semelhante a uma tirolesa, ela também deu alguns passos. “Nunca imaginei ter esta oportunidade. Foi um dia especial”, disse.

“Uma experiência incrível para minha filha, que pode visitar esta praça pela primeira vez. Sem o transporte especial seria muito difícil, já que pra vir até o centro da cidade dá sempre muito trabalho e a gente acaba desistindo de sair”, relatou Carina Aparecida Ramos, mãe da Evelyn, de 10 ano, cadeirante e também deficiente visual. Segundo ela, a ideia é aproveitar as próximas oportunidades.
Ao todo, o micro-ônibus do programa Acesso trouxe 16 pessoas, entre deficientes e acompanhantes, num trajeto de aproximadamente 15 quilômetros desde a Regional da CIC. “Meu filho ficou muito feliz e eu também, por ver ele sair de casa e ter um pouco de lazer. A gente mora longe e seria muito difícil vir sem transporte especial”, observou Renata Sansão, mão do pequeno Alex, de 11 anos, que é cadeirante e não possui qualquer coordenação motora. “Sem este apoio dificilmente a gente sairia para passear. Nos deslocarmos para longe é demorado e trabalhoso”, comentou Marcos Henrique Oliveira, cadeirante e morador da CIC.

Atividades inclusivas
O projeto piloto, que reúne as secretarias municipais dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) e do Esporte, Lazer e Juventude, Educação e Meio Ambiente, contou também com o apoio da Urbanização de Curitiba (Urbs), responsável pela disponibilização do micro-ônibus adaptado para trazer e levar os participantes. O objetivo da Prefeitura é fazer a oferta do transporte para cada uma das dez regionais a cada domingo. O agendamento será feito pelos núcleos da SMELJ nas administrações regionais.

As atividades inclusivas do projeto Ciclolazer têm sido reforçadas desde 2015. Para auxiliar aos usuários com deficiência, uma parceria com a universidade Uniandrade coloca à disposição monitores para todo o circuito ciclístico e recreação, além de uma equipe de fisioterapeutas para avaliar e ajudar no skate adaptado. A Bike Anjuss, idealizadora do projeto, também auxilia nas atividades e ainda ensina pessoas que nunca andaram de bicicleta a pedalar pela primeira vez.
“Esta é uma iniciativa louvável. A Prefeitura de Curitiba mais uma vez sai na frente, pois promove atividades onde os deficientes podem efetivamente participar e curtir o que a cidade o quer a cidade tem de bom para o lazer, que são os seus parques”, observou Moisés Batista, paratleta - com participação nas Paraolimpíadas de Atenas e Pequim – e que neste ano conduziu a Tocha Olímpica em Curitiba.

Fonte-Bem Paraná
 https://www.bemparana.com.br/noticia/456479/transporte-especial-permite-que-pessoas-com-deficiencia-aproveitem-o-ciclolazer

Nenhum comentário:

Postar um comentário